Ouça agora na Rádio

N Notícia

AFP / MIGUEL ROJO

FOTO: AFP / MIGUEL ROJO

Fluminense vence Nacional no Uruguai e vai à semifinal da Sul-Americana

Tricolor não se acanhou com a pressão da torcida que lotou Parque Central

Informações compartilhadas Superesportes

O Fluminense fez o que parecia improvável e buscou a classificação às semifinais da Copa Sul-Americana no Uruguai. Nesta quarta-feira, a equipe carioca visitou o Nacional em Montevidéu, foi muito superior ao adversário e venceu por 1 a 0, resultado suficiente para mantê-la na briga pelo título continental.

A tarefa não era fácil. Afinal, na ida, o Fluminense havia ficado no 1 a 1 no Engenhão, o que fazia com que o Nacional pudesse até empatar por 0 a 0 em casa para ficar com a vaga. A torcida compareceu, a atmosfera era toda favorável aos uruguaios, mas foram os cariocas que dominaram a partida e garantiram o triunfo com gol de Luciano.

Agora, o time tricolor espera para conhecer seu adversário na semifinal, que sairá do confronto brasileiro entre Atlético-PR e Bahia - os paranaenses venceram por 1 a 0 a ida, em Salvador, e definem a vaga nesta quarta, em casa. Antes, porém, o Fluminense volta as atenções para o Brasileirão, pelo qual fará clássico com o Vasco neste sábado, no Maracanã.

Nesta quarta, o Fluminense não se acanhou com a pressão da torcida que lotou o Parque Central e começou melhor. É bem verdade que o Nacional tinha a clara estratégia de ceder a posse de bola ao adversário e tentar o gol apenas nos contra-ataques, mas o time carioca aproveitou para ganhar o campo ofensivo, sem sofrer sustos.

Faltava apenas criatividade. A bola rodava de um lado para o outro, sem objetividade. Curiosamente, era o Fluminense que se aproveitava dos contragolpes. Em dois, faltou o último passe sair com mais precisão para deixar Luciano em boas condições. Everaldo e Jadson erraram.

Aos 38, a melhor chance dos visitantes no primeiro tempo. Luciano deu ótima enfiada para Ayrton Lucas, que saiu de frente para o goleiro, mas errou na finalização e permitiu que a zaga afastasse. Aos 46, Luciano teve a chance pelo alto, mas cabeceou em cima do goleiro.

O time carioca voltou ainda melhor para o segundo tempo e assustou logo aos 18 segundos, após grande jogada de Ayrton Lucas, mas Luciano foi displicente e chutou para fora. Aos três, porém, saiu o primeiro. Conde saiu jogando muito mal e deu nos pés de Sornoza, que, esperto, acionou rapidamente Luciano. Desta vez, o atacante mostrou calma para cortar o goleiro e o zagueiro antes de finalizar para a rede.

A resposta do Nacional foi imediata, porque no minuto seguinte Bergessio fez boa jogada pela esquerda e cruzou para o meio. Romero e De Pena apareceram sozinhos na área, mas se atrapalharam. Aos oito, Sornoza cobrou escanteio pela esquerda e Ibañez subiu sozinho, mas jogou para fora.

Na base do desespero, o Nacional se lançou ao ataque e até conseguiu algumas finalizações, mas o jogo seguia à feição do Fluminense. Com uma marcação precisa, o time emendava um contra-ataque atrás do outro. Aos 45, teve a chance de matar o jogo com Matheus Alessandro, que arrancou sozinho do meio de campo e bateu para fora. No minuto seguinte, Espino pisou em Sornoza e foi expulso, enterrando qualquer chance de reação dos uruguaios.

FICHA TÉCNICA:

NACIONAL-URU 0 X 1 FLUMINENSE

NACIONAL-URU - Esteban Conde; Jorge Fucile (Viudez), Rafael García, Alexis Rolín e Alfonso Espino; Matías Zunino, Christian Oliva (Aguiar), Santiago Romero e Carlos De Pena (Sebastian Fernández); Gonzalo Castro e Gonzalo Bergessio. Técnico: Alexander Medina.

FLUMINENSE - Júlio César; Ibañez, Gum e Digão; Jadson, Airton (Paulo Ricardo), Richard, Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo (Júnior Dutra) e Luciano (Matheus Alessandro). Técnico: Marcelo Oliveira.

GOL - Luciano, aos três minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Roberto Tobar (Fifa/Chile).

CARTÕES AMARELOS - Carlos De Pena, Alexis Rolín, Sebastian Fernández, Gonzalo Castro (Nacional-URU); Digão, Gum (Fluminense).

CARTÃO VERMELHO - Alfonso Espino (Nacional-URU).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai).

FONTE: Super Esportes / Estadão Conteúdo
Link Notícia