Ouça agora na Rádio

N Notícia

© AP Photo / Elizabeth Dalziel, File

FOTO: © AP Photo / Elizabeth Dalziel, File

Olho por olho: Mundo responde às tarifas de Trump taxando produtos dos EUA

Do México ao Japão, os países impõem suas próprias tarifas para compensar as perdas causadas às suas economias pelas medidas adotadas pelos Estados Unidos.

Informações compartilhadas Sputnik Brasil

A guerra comercial que começou com a introdução das tarifas dos EUA às importações de aço e alumínio se aprofundou ao longo das últimas semanas. Os países começaram a responder adotando medidas semelhantes ou prometendo endurecer as restrições existentes.

Em março, EUA impuseram tarifas de 25% sobre o aço e 10% sobre o alumínio importado da China e de vários outros países, incluindo Rússia, Índia, Japão e Turquia. No final de maio, a medida foi estendida à União Européia, Canadá e México, que inicialmente estavam isentos.

Além disso, na semana passada, Donald Trump aprovou a imposição de tarifas de 25% contra produtos tecnológicos da China no valor de 50 bilhões de dólares. Além destas tarifas, às quais a China já respondeu com a promessa de taxar em 25% cerca de 659 produtos norte-americanos, Trump ameaçou impor novas taxas contra as importações provenientes da China, no valor de 200 bilhões de dólares. Na quinta-feira, Pequim anunciou estar totalmente preparado para responder às eventuais novas medidas de Washington.

China não é o único país a reagir. Índia planeja introduzir tarifas sobre um total de 30 produtos de origem norte-americana no valor de 240 milhões de dólares. A mídia local informa que essa medida entrará em vigor no dia 4 de agosto.

Seguindo o exemplo, a Turquia planeja impor tarifas no valor de 267 milhões de dólares sobre produtos americanos.

A Comissão Europeia, por sua vez, aprovou na quarta-feira um regulamento para implementar medidas contra uma lista de produtos no valor de 2.8 bilhões de euros (cerca de 3.24 bilhões de dólares).

A Rússia também está respondendo aos EUA. O ministro da Economia, Maxim Oreshkin, anunciou nesta semana que Moscou vai introduzir "medidas compensatórias" em resposta aos passos protecionistas adotados por Washington. Embora o ministro não tenha fornecido detalhes, no mês passado o país notificou a OMC (Organização Mundial do Comércio) sobre possíveis medidas de resposta contra produtos americanos no valor estimado de 537,6 milhões de dólares, o equivalente a perdas para a economia russa.

No mês passado, o Ministério das Relações Exteriores do Japão também informou à OMC que poderia impor tarifas contra produtos norte-americanos no valor de US $ 451 milhões.

Finalmente, os vizinhos dos Estados Unidos, Canadá e México, também impuseram tarifas para produtos norte-americanos em meio a acusações de protecionismo contra Washington.

 

FONTE: SPUTNIK BRASIL
Link Notícia