Ouça agora na Rádio

foto-locutor

Buscando...

Buscando...

Destaques

Policial

Compartilhe agora

Polícia Civil esclarece falso roubo de carga de soja em Francisco Beltrão

Postado em 18/03/2021 por

img-page-categoria

*Fonte imagem : Polícia Civil esclarece falso roubo de carga de soja em Francisco Beltrão*


Em trabalho integrado entre as Polícias Civis do Paraná (19ª SDP de Francisco Beltrão) de Santa Catarina (DIC de São Lourenço do Oeste) e PMPR, resultou no indiciamento de um motorista de caminhão por falsa comunicação de crime e apropriação indébita majorada da carga de soja que fora desviada.

De acordo com a Polícia Civil, no dia 11 de março, um motorista de caminhão procurou a Polícia Militar informando que, na manhã daquele dia, teria sido abordado por assaltantes armados enquanto estava parado em um ponto de descanso na Rodovia PR-483, próximo ao Trevo da Água Branca, na cidade de Francisco Beltrão. Os bandidos teriam supostamente levado o motorista até um matagal próximo a Renascença, mantendo o refém roubado o caminhão que estava carregado com aproximadamente 37 toneladas de soja.

A Polícia Civil de Francisco Beltrão iniciou a investigação com apoio da Polícia Civil de São Lourenço do Oeste e após inúmeras diligências de campo, foi possível descobrir que a carga de soja havia sido revendida por aproximadamente cem mil reais para uma cerealista em Jupiá (SC).

Ainda conforme a polícia, ao solicitar a documentação e maiores informações sobre a compra da carga à citada cerealista, vislumbrou-se que foi o próprio motorista quem teria dirigido até Jupiá (destino diverso do original para entrega da carga e no horário em que teria narrado à polícia que se encontrava como refém dos bandidos na cidade de Renascença) para, juntamente com um agricultor local, fazer a venda do soja.

Segundo a polícia, trata-se do segundo caso em menos de três meses em que a Polícia Civil de Francisco Beltrão conseguiu colher elementos comprovando que funcionários supostamente forjaram assaltos para se apropriarem da carga e lucrarem com sua revenda. O primeiro caso ocorreu no final de dezembro e se relacionava com uma carga de cigarros avaliada em quatrocentos mil reais.

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários